21.3.07

gli SSe ment pro greSS if




~






here

i ate

today

suddenly

three-almond-cakes


~

here

i wondered metaphorically that a poem should be a whale (!)


.

here

i celebrated following the nomadic and magical rotation

of-the-happy-small-planets







( tradução súbita e in esperada da Lavinia Saad. após o que outras as palavras. )




Uma visita sua (II)




Uma visita sua
é um copo de água fresca,
é a água e o copo
e a mão que segura o copo.
Em dias que eu não tiver mais copo
faz as mãos em concha
que te darei água fresca.
Em dias que eu não tiver mais água
faz as mãos em flor
eu saberei conjurar a água.
Uma visita sua
é em si um copo de água fresca.

A tua ausência
é um leito seco de riacho.
Barro duro e rachado,
ossos encrustados no chão.
É as margens ásperas dos meus lábios,
os sulcos vazios, palavras num vão.
Eu rôo a tua ausência
até sobrar só um pitoco.
Eu descasco a tua ausência
Até restar só o caroço.
Faz falta a sua visita
como um rio de água fresca.





(Lavinia Saad março 07)




( sÓ.paRa-SaBore.aR. deSejOs.de.hoJe:

doCeS.paLaVraS-doCe.pRiM.aveRa:

de-gieSTas-aMarelaS. áGua e Mel:

a.Pe.S.ar. )






[ foto brasilandobraga




43 comentários:

un dress disse...

estava pouco para abrir mas...

que sim. então...

Klatuu o embuçado disse...

Também gosto dessa «Brasileira»... ;)

Pedro Branco disse...

Entro e saio como quem respira. Porque as palavras pinto-as a cada passagem. Cada porta aberta. Mesmo as fechadas que abro ao pontapé. Até as que não existem que invento. Entro e saio sem pedir licença. Porque sei que do outro lado da tua porta está a entrada!

Beijo.

margarida disse...

Comparei com o poema em português.

De facto a diferença é curiosa...
É muito lindo este poema. Como uma pequena pedra rolante com música...na tradução talvez mais
evidente ainda.
O da Lavinia, suponho que seja brasileira, é fluido e encerra, no seu aparente estado líquido, uma grande densidade emocional!
Grande a perícia dela com as palavras...e o resultado é...o que se vê !!!

Abraços e Beijos

Alexandre disse...

Que Brasileira é esta, que eu não reconheço???

«A tua ausência
é um leito seco de riacho.
Barro duro e rachado,
ossos encrustados no chão.
É as margens ásperas dos meus lábios,
os sulcos vazios, palavras num vão.»

LINDO!!!!!

Lavinia Saad disse...

un dress, que prazer colaborar com você.

O poema é todo seu— cada tradução provoca seus felizes acidentes.

Bjs

Lavinia

Jefferson P. disse...

Boa tradução... achei que não influenciou os sentidos...
O que é bom.

bjssssss

alice disse...

... Um poema não se faz, porém, de ideias, antes de palavras. E a palavra escrita, nada mais é do que uma palavra muda. Este estado de mutismo da palavra, só se altera quando ela se revolve nos lábios de quem a lê e lhe dá voz. É na leitura da palavra, seja ela a palavra que for, que a palavra vive. Enquanto escrita, a palavra não passa de uma quantidade de água dentro de um copo. É preciso beber a palavra, engoli-la e incorporá-la para que possa ser sentida e deformada. Este processo de ingestão das palavras, varia de acordo com a quantidade de água que está dentro do copo. E a palavra só se sente, só se deforma, quando se engole e integra em nós, ficando o copo de água vazio...

;)))

beijinhos

luís disse...

Com esse cuidado quase excessivo com que recolhes e transfiguras assim as palavras que dizer?
- Mais tarde?
- Sim, mais tarde...

Anaïs disse...

Como gosto de lá ir... saborear um chá com um bem doce bolo. Uma visita sua, será como um copo de água fresca. Gostei muito.

Um beijo.

anatema disse...

Creo, si la memoria no me falla, que esa cafetería se encuentra en Lisboa. Me gustó mucho y allí estuve tomando un café do Brasil, cómo no.

Dime, ¿me equivoco?

Preciosos esos versos.

Siempre

nos hace falta

"su visita",

como agua fresca.

Siempre su ausencia

y siempre esta sed

que no se sacia.

MARTA disse...

Gostei muito desta "troca" de palavras/sentidos.
Tenho um novo desafio no meu blog - se quiseres participar, passa por lá.
Não posso estar muito tempo online, pois estou com um problema nos olhos e tenho que repousar.
Beijos e abraços
Marta

luís disse...

Havia sempre
a cor das giestas
a espraiar-se nos olhos...

Como um fruto por abrir,
rente às insónia das cidades. As de Espanha, retocar-se na siesta...

Chego e toco a maior realidade.
A pesar a distância...

Já voltei, beijo

A. disse...

...deixo também por aqui o meu pedido de desculpas.



agradecendo a atenção.

Ana.

un dress disse...

ana...que desculpas???

beijO

(num mês e pouco de blog tenho várias histórias ingratas para contar...por isso...é capaz de ser normal.
as pessoas são iguais...nos blogs na vida...e arrastam -se, eternamente insidiosas...
a catalogação dos outros...feita, claro, à medida da sua clarividência...
são normalmente as que mais falam de tolerância e respeito...pois excluem-se a si mesmas do exercício do dito...)

vem sempre. és muito bem-vinda :))

Letras de Babel disse...

cheguei lá, registei patente...

depois de me deslumbrar, deitei fora o egoísmo e trouxe-a para o lado de cá.

tenho gostado de ver a vossa reciprocidade, un...

(vês, vês? também te traduziu.)

________________________________

oh well
doing the rigth thing
share the nest
and fly
in a veil of words

bjs

nan

Diva disse...

Bela traducao de palavras e fazeres. Belo poema.
Bjs meus

Moura ao Luar disse...

Beijo de bom fim de semana, finalmente o descanso merecido...

Just Be Fair disse...

Muito giro e original, o teu blog. Parabens.

alice disse...

obrigada, un dress, por todas as tuas visitas e palavras no meu blog, e sobretudo pela atenção que tens dedicado às publicações. o teu comentário de ontem foi muito especial. assim como hoje também. mas quando há emoção. é melhor ;) bom fim de semana e um grande beijinho.

o alquimista disse...

Nasceu a manhã
Agita-se a ilha
Tanta emoção
Chegou mais um dia

Quatro palmos de terra
Cobrem estes rochedos
Sete ventos de encanto
Guardam mil segredos

Tantas são as histórias
De lendas, de aventura
Em noites de temporal
Contadas por gente pura

Gente de poucas palavras
Mas de muita convicção
Que vive cada momento
Com sincera emoção

E é com este poema que retomo o contacto após alguns dias cheio de problemas no computador…

Bom fim de semana
Doce beijo

mixtu disse...

visitas...
há visitas que são como o vento... suaves, saborosas...
há visitas que são como o vento... por vezes não sabemos de onde vêm... se têm cheiro a serra ou a maresia...
por vezes há visitas que são bem-vindas... se não estiverem constipadas... :)
besitos,
Mixtu

art&tal disse...

lá tinha algum letreiro

tu entras e sais quando quiseres.

abraço

c.

antónio paiva disse...

..................

a minha visita banal, para te ler

..................

Beijo, noite serena e bom fim-de-semana

Opintas/Bernardo disse...

Não percebi mas eu sou lento.
Boa noite.

Entre linhas disse...

Obrigada un dress por todos os comentários no meu blog.

Desejo um óptimo fim de semana com muito amor e paz.

Beijinhos Zita

Eyes wide open disse...

Que.EspLanAda.bOniTa! ;-)
Bom fim de semana. Com a concretização de todos esses desejos.
*

Chama Violeta disse...

Venho agradecer a visita em meu blog.Voltarei no teu mais vezes,mesmo de férias vou dando umas voltas por cá.Beijinhos de luz!!!

perola&granito disse...

Obrigada pela visita, beijocas e bom fim de semana :)

Enfim... disse...

muito bonito bjs e bm fim semana

Klatuu o embuçado disse...

Clica na música que está no meu Perfil e ouve enquanto lês o texto - que não é da minha autoria, mas sim um spoken word do Däch.

Dark kiss.

joel faria disse...

a poem should be a whale
a poem should be a whale
a whale should be a whale
maybe a poem maybe a whale
maybe a whale

Alexis Coald disse...

como um copo de água fresca. Gostei muito.

Um beijo.

un dress disse...

"Sou uma ilha de emoções.
Tudo o que tenho
Mal cabe dentro de mim, e ao meu redor,
Há só o vasto e arisco mar."

que dizer Lavinia...que mais se pode humanamente dizer...

Obrigada por vires aqui. muitO.

e ainda talvez dos "hematomas
nos flancos da alma" (...)
palavras tuas
que
hoje
me.
(também.)
recomendo.
diZer.
a mim mesma...

até-já Lavinia

mixtu disse...

amálgama...

besitos

legivel disse...

aqui
bebo um café
depois d´um dia angustiado
nesta Brasileira
que não é a do Chiado.
do meu rosto
escorrem sorrisos largos
(que a angústia à séria
não se mostra com esgares amargos).
celebro o dia em que morri;
final feliz p´ra quem não está ali...


Chamou o empregado para pagar. Depois, levantou-se (mais morto que vivo... ) desceu até ao Rossio e lembrou-se que a hora tinha mudado.

un dress disse...

a todos obrigada...este post era suposto ter saído sem comentários...ainda bem que não o fiz...

foi muito importante o que escreveram mas também o próprio acto de passarem aqui...isso é mesmo muito importante, essa energia viva que trouxeram!...OBRIGADA :)

estou com problemas...não consigo escrever comentários longos porque são tragados ao editar...

como também me é difícil comentar alguns dos vossos blogs...simplesmeste ...s´en va!

mas tudo se recompõe seguramente.

BEIJOS-e-ABRAÇOS-DE-LUAR-E-ROSAS*

patricia disse...

Todos os dias aqui passo e fico um pouco como se estivesse à beira mar sentada a ler um livro, um texto ou outra coisa qualquer.

O verde chama-me, o ocre das tuas palavras cola-se a mim, fico sempre marcada e não sai com àgua.

Por isso a ausência de passagens aqui faz-me sede, faz-me as mãos limpas e não me traz a beleza que preciso de sentir.

muitos beijos***

un dress disse...

querida patrícia! espero que saibas como são importantes pra mim as tuas palavras...a força que me dão...
a minha fragilidade e insegurança esvaem-se completamente nestes momentos...e arrisco tudo de mim...escrever bem, menos bem, mal...mas dizer como sei... que enquanto quiser e puder, estou aqui que seguramente, não estou só e há alguém que me conhece humanamente e está presente e me diz estas coisas a olhar nos olhos...é tão raro isso! (que é e sempre foi o lado MAIS importante pra mim :)))
por isso obrigada patrícia!

mil ***

un dress disse...

ao JOEL

à MARGARIDA/VIOLETA

ao LUÍS

que também conheço do ponto de vista dos olhos (hehehe...)(não falo da alma que essa bela louca da alma também de outros conheço)
estou muito grata. pelo que escrevem pela presença e porque não vos vendo...vos adivinho ao alcance da minha mão...em lisboa no porto no alentejo em barcelona-tudo-isso-aqui-ao-lado...

aos outros, que não conheço e alguns que começo a (re)conhecer... visito sempre...enquanto por aqui passar eu mesma...
(desde que os comments, claro, não se apaguem ou nem os veja...como tem acontecido...)

até
já.............................
bom dia................................

i2_s2 disse...

convertamos o cieiro crivado por certas ausências em motivo de renovação pelo aquecimento da boca, pela geração da palavra renovada.

un dress disse...

obrigada...é o que faço,

( glissement pro.gréssif... :))



BEIJO

candida disse...

se sobra um pitoco tá tudo bem :) beijinhos lambuzados de pão de ló com p..o, ops, de ovar.