30.8.14

biologia




~



un-dress disse...


sabemos lá
o que é um poema


...
...
( se não

o súbito



:
:

a-lon-ga-men-to

dos



dedos...)



?


2:49 PM




I2-S2 disse


e o alongamento das veias que


albergam o sangue onde

flui
o espírito que anima o corpo que contém os dedos...

11:39 PM










[ foto glóbulos de poema
.

33 comentários:

MARIA VALADAS disse...

Um poema...é como o hino!

Um hino pincelado com as cores da memória...

Beijo da

Maria

inominável disse...

claro que sabemos o que é um poema... é o alargamento da vida e das veias... é a explosão da vida e das veias... é a ebulição da ponta dos dedos ou das línguas ou das sinapses...

inimaginavel disse...

Sabemos lá o que é vida..
E aqui andamos

RAFAEL disse...

Pois é, con certeça, é isso e moito mais.
O que conhecemos e o que nao sabemos, o que estás a dicer e aquelo que nao sabes o modo en como á de ser dito.
E o melhor de todo, o que está e o que sempre está, como o tempo.
Beijinhos.

(Mudou a imagem, mais nao o que se ve. Parabéns)

sonhadora disse...

deixo-te sonhos das marés prateadas do meu mar.
Beijinhos embrulhados em abraços

sleeping angel disse...

um poema é o que nos vai na alma traduzido em metáforas a propria vida é um grande poema

feniana disse...

olá:)

antónio paiva disse...

...............

quando soubermos de onde vem a dor

..................

Diva disse...

Belo poe-mar...Ler-te, faz-me bem. Sempre.
Bjs meus

Pedro Branco disse...

"A que horas é que passam as definições?", perguntou outro poeta.

"Sempre que abrires a alma.", respondeu a amante.

"Oh... pensei que era impossível."

"Pois é!"

MARIA VALADAS disse...

E eu pergunto:

Sabem lá o que é feito do meu anterior comentário :))

Abraço da

Maria

Anônimo disse...

Bom dia; poder-me-ia dizer que peça musical maravilhosa é esta que se ouve? Não consigo identificar "andreas s.". poderia dar-me algumas referências sobre o nome da peça e do intérprete?

Muito obrigada,
Alexandra Moura

violeta disse...

De circulação, de dor, de prazer, duma glória imensa,sempre biológica.*

Anônimo disse...

As tuas palavras tocam-me…!



Doce beijo “O ALQUIMISTA”

i2_s2 disse...

bom dia;)
e um poema que se prolonga por redes. e um eco.

Joaquim Amândio Santos disse...

"
abalo
tonto
num ponto
onde desfaço
o traço
onde nasço
e cresço
num papel que com cordel

eu ato.

folhas brancas
que tingi,
folhas virgens
que desflorei.

atadas
com um cordel
num papel
onde cresci
e nasci
num traço
onde desfaço
o ponto
de onde tonto

eu abalo.
"

2007, JAS

Mireya disse...

Un abrazo pra voce

mi despertar disse...

abrazos y te sigo....

tonsdeazul disse...

Um poema...
letras que se tocam...
palavras que se unem...
sentimentos que se despem...
desejos que se escondem...
encontros em perfeita sintonia...

alice disse...

que delícia ser recebida assim com tão bela música ;) e a qualidade de sempre nas palavras ;)... e nas imagens. obrigada, un-dress. um grande beijinho.

luís disse...

Alongo os dedos até ao sangue,
E sinto.

Enfim... disse...

MUITO BONITO

BJKS

A.S. disse...

Por isso o poema não nasce sem dor! Assim mesmo!!!

Um beijo...

Om-Lumen disse...

O teu blog é diferente...

Gosto simplesmente :-) E por agora nada mais tenho a dizer.

Um abraço amigo.

Om-Lumen

Jefferson P. disse...

belo.. bravo! bravo!

as velas ardem ate ao fim disse...

Um sentir, um profundo sentir!

Sublime!

patricia disse...

poesia

anima

alma

sei lá

mas é belo e bom e transcendente

nas nossas mãos

***

un dress disse...

obrigada por terem vindo
...alongar as veias...

deixaram aqui e em mim a vossa marca. muitO.

un dress disse...

Alexandra, a música é uma interpretação de Bach, da Paixão segundo S. Mateus, por Andreas Scholl, um contratenor alemãoespecialista em música barroca.
acho que é o homem que já vi mais perto de deus até hoje: pela figura e pela voz de puro anjo, essa que estás a ouvir.
é hipnótico. tive o privilégio de o ver ao vivo na Casa da Música no Porto :)

já agora, a outra é antiga e todos conhecem, do Caetano. a última é do Nitin Sawhney, Mausam...

Volta sempre, abraçO

Anônimo disse...

Obrigada! Ainda hoje recorri a um amigo maestro e tenor para que aqui viesse e me identficasse a peça...mais uma vez, muito obrigada! Fiquei deveras maravilhada com este tenor!Quanto ao seu blogue, nada mais tenho a crescentar aos comentários que por aqui vejo; as suas escolhas musicais não poderiam ser outras!!!
Alexandra

un dress disse...

de nada! obrigada eu!

foi um prazer.

por agora, estou por aqui volta whenever...

Alessandra Espínola disse...

Ah, maravilha! Tenho lido, visto sua poesia, olhando os seus dedos, até onde eles me alongam, me mostram, me apontam, me pontuam, também belas imagens...Adorável! E salve Lavínia Saad! Um abraço!

un dress disse...

obrigada alessandra

obrigada pelas tuas palavras de mel!



bOns dias.
abraçO :)