30.8.14

terna Mente - um




~










( dizem. diz ela. dizem. diz ele.
onde-é-ela-ele. eleela-elaele. trans-versal-dia-gonal. verso-re-verso. agora-sempre.)

ele. ela :: os olhos irritantemente azuis. sou histriónico. imaturo. a lembrar o puto mozart.

ela. ele :: ah brincas aos berlindas com almas. ris. debaixo das mesas.

ele. ela :: é. ri-se. os olhos intrigantemente móveis. infixos. sempre.

ela. ele :: então vamos lá ver. seduzes. prendes. na cave. a ver. eco. se.

ele. ela :: é é. agora sorrio. perco velocidade. a desmobilizar os olhos. eu. agora.

ela. ele :: repetes. brincas com brinquedos. vivos. sorrio. também. agora.

ele. ela :: encolhes os ombros. assustas-te. sorris. murmuro. não ouço.

ela. ele :: continuo. procuras. dispersas. outros lugares. outros. berlindes. sempre.

ele. ela :: pois é. inocente. laminar. sibilina. doce. esperas. se.

ela. ele :: nada. o olhar ausente. sobreposto. obedeço. ordens. que vão. longe. muito. lá. agora.

ele. ela :: além. não sinto. nada.
espera. sempre. eco. se. espero.

ela. ele :: murmura. respiras. gotas. pouco. sempre. fecha. agora.

ele. ela :: pouco ouves. nada vês. sempre. agora. espera. se.
ela. ele :: a língua a. gota. quase. calada. na voz. nada vês. fecha. onde. espera.


ele. ela :: gota a gota o quê. gota a gota o quê.

ele:
- a partir daqui. encosto-te ao silêncio. hoje?


ela :- a partir daqui. encostas-me ao silêncio. até?




------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------









[ fot agora-estação
pocinho

40 comentários:

un dress disse...

não que fosse intencional mas

de repente pareceu-me uma história.

ainda por cima uma história normal.
de-corrente.

talvez alguém queira dar-lhe

continuidade...

ou talvez não... :)

luís disse...

Daqui a pouco hei-de receber uma mensagem.
Que dirá:
- Estou a ouvir-te no silêncio.
E depois...
Não voltaremos a ver-nos. Ou voltaremos, demasiado longe.
E ficamos assim para sempre.
E alguém me há-de vir dizer que é normal!
É esta a minha história.
Sou quem sabeis.

Estranha "forma" de texto!
Beijo :)

anatema disse...

Me gustaría conocer tu lengua absolutamente para poder seguir la historia. Me encantaría, pero el diálogo es muy sintético. Podría, naturalmente, elucubrar, pero prefiero callar.

Un abrazo.

un dress disse...

anatema.

efectivamente a história não tem nada a ver...proposta só.

(a seguir ou não...apenas.o texto é um texto igual aos outros.
por si próprio.)

foi uma ideia que me passou...nada mais :)

abraçO

chuvamiuda disse...

...........

encostado no silêncio

não lhe acrescento nada

escuto

...............

Bom dia

Anônimo disse...

Também continuo na procura dispersa de outros lugares, no tempo, nas vidas...

Um beijo un-dress
Obrigada pela visita.

Maria Mamede

TINTA PERMANENTE disse...

(talvez uma velha estação de ramal perdida em qualquer lonjura de ruralidade. O comboio ainda sorve carvão e espalha silvos pelos montes vizinhos. As linhas, essas, continuam esse diálogo paralelo sem fim...)
Gosto desta escrita!
Abraços

Opintas/Bernardo disse...

Fugiu de mim e toca a fazer riscos? Ora bom dia então.

Alexandre disse...

Ora aí está um diálogo digno de uma peça e teatro... melhor que muitas peças que passam por aí!!!

E agora... silêncio!!!

Bem dito quem inventou o silêncio!!!

Adam & Eva disse...

Tu blog es muy especial

margarida disse...

Violeta. Digo que sou eu sou ele-ela-ela-ela às vezes. Todos somos assim...
Agora que o silêncio pode ser ruído pode.
Que o silêncio dói e mata, dói,dói, mata, mata!
Como tudo o silêncio pode ser tudo e nada vida e morte, o sempre e o agora...
Histórias de silêncio mortal todos têm uma...
De amor silencioso e silenciado. da morte em silêncio...
O texto enfim...desliza muito bem!Para baixo ou...?

Beijo e rebeijo

Alexandre disse...

Ah, venho responder-te agora à dúvida que deixaste no teu comentário no meu blog: aquela situação da criança de 12 anos que já bebe vinho não é uma iniciação, é mesmo o princípio do alcoolismo e era muito vulgar nos meios rurais no norte de Portugal. Agora existem outros tipos de alcoolismo nos jovens...

moura disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
L disse...

Eu estou por aqui não muito conformada ainda assim encostada também contra o silêncio.

MARTA disse...

Olá, obrigada pela resposta ao meu desafio.
Geralmente, eu escrevo a minha própria versão e se a quiseres ler, já lá está.
Obrigada pelas visitas.
Beijos e abraços
Marta

Klatuu o embuçado disse...

Espero que as reticências indiquem um estado da fala mais «eloquente»... :)=

un dress disse...

luís.
não é a tua história...é a nossa ... a de quase todos. às histórias de gritos seguiram-se as do silêncio...não sei qual a maior dureza...

chuva miúda.
encostado no silêncio. até onde ?
escutas...
habitas...
esperas que te faça companhia. faz?

maria m.
outros lugares outras vidas...
o que o vento te trouxer...:)

tinta permanente.
os comboios quase não. já não. as linhas guardam ecos e continuam...não em silêncio. mais silenciadas. mais assim.
mas há flores amarelas a crescer nas linhas...pa-ra-le-las.

bernardo.
as linhas que falas são para escrever o silêncio...;)

alexandre.
por causa do teatro...talvez por isso a ideia da história
aquilo da tua história e do alcoolismo...fiquei esclarecida.:)

abraçoS*

un dress disse...

margarida.

tu não deixes essas interjeições suspensas no final que agora ao ler e depois do comment enojante que acabei de apagar ainda me abrem uma caça às bruxas!

o texto, que pouco tem a ver com o corpo enfim deve estar a ser lido...do avesso...
imagino as lentes e os dedos apontados!!

paciência...há uma bela frase duma escritora portuguesa que diz : "cada um vê o que quer nos lugares que encontra!"

pois que cada um veja então. de acordo consigo mesmo! e já agora...com a alma!!

beijo margarida

un dress disse...

L.
vou aí descansar que bem preciso!
obrigada. agora. pelo silêncio. mesmo contra!

Marta.
foi um prazer fazer o texto!
li o teu...engraçado como as mesmas palavras se tornam outras de acordo com cada autor!

Klatuu.
não sei o que está ou jaz ou respira nas reticências...desconheço.

Adam § Eva.
passarei no vosso blog. bem-vindos!

grata. beijoS

un dress disse...

a todos e aos outros.

peço desculpa por verem neste blog um comentário do teor do que esteve aí...depreendo que algum tempo...

os limites humanos são grandes e..."cada um vê o que quer nos lugares que encontra"...

aprendi. aprendi de novo.

que quando alguém está preso a uma ideia é prisioneiro dela e lê o mundo e faz-se representar nele a partir exclusivamente dessa postura ou ideia! tal como o senhor em causa.

que quem é determinada "coisa", pois tem por missão agredir quem não é...incrível e triste...

((na verdade assumi uma posição de defesa (que ninguém me pediu, de facto, mea culpa )da liberdade de expressão-tão simples como isso. pois o senhor deu-me com a cara na parede. e a parede veio até aqui...))

triste e verdadeiro. aconteceu-me ho-je!
gostaria que não tivesse acontecido.
(sinto-me como uma miúda que descobriu que não há pai-natal...)

por mim e por vós...lamento!

luís disse...

ABRAÇO. BEIJO.

Até já

MARTA disse...

Olá, para mim também foi interessante, pois como disse, foi um dos 1ºs textos que escrevi e acho que houve uma evolução na forma como escrevo.
Obrigada mais uma vez.
Bom fim de semana, bom descanso.
Beijos e abraços
Marta

Waiting for Godot disse...

La foto me ha encantado, me recuerda a un lugar donde fui MUY feliz.

isabel mendes ferreira disse...

a sedução. gráfica.


temática.



semântica...


-------------------.


enorme beijo.

legivel disse...

eu, eu: bonita hora que escolheste para eu me encostar ao silêncio. agora. às duas e vinte e três desta tarde tão luminosa a pedir praia...

ela, ela: podes crer que é a melhor hora. não tarda nada ficas sem silêncio e queres encostar-te a mim... como se eu não te conhecesse...

ele, ele: está bem. digamos que tens razão. eu encosto-me ao silêncio, mas antes dá-me os berlindes. silêncio onde me encoste tem de ser esférico.

outros, outros (em coro):

sendo o silêncio de ouro
quem se encostar fica rico;
por isso é que canto em coro
porque mais pobre não fico.

RAFAEL disse...

Eu nao. Nao quero seguir.
Eu fico aquí, sen continuidade.
Eu quero ser ele e ela, mais so sou eu.
Abraços e beijos, amiga.

violeta disse...

Também aqui te direi,
que tu e só tu. A escrita. A tua tranquila força, as emoções à flor da pele, a sede...
BASTA! Para TUDO, BASTA!!!

Mil beijos

margarida

Jefferson P. disse...

Muito bom, Parabéns!

Abrçs. Até breve.

isabel mendes ferreira disse...

:)))))))))))

beijo musical de boa noite.

_______________________
até amanhã....

anatema disse...

Lo que has escrito, por incoherente que parezca, es lo que has sentido. O tal vez lo que sentía tu mente estando en blanco, en un limbo ajena al pensamiento.

Lo importante y lo positivo es que nos has ayudado a pensar y eso ya es bueno.


Besos.

chuvamiuda disse...

..............

um sereno fim-de-semana


*

Entre linhas... disse...

A escrita é um tranquilizante,tal como os pintores brincam com os tons das cores nas suas telas,os escritores "brincam" com as palavras,com a sua sintonia,quer fónica,quer metafórica..

Bom fim de semana

Beijinhos Zita

Enfim... disse...

a imagem inspira, deixa a mente aberta.Bjs e bm fim semana

Eyes wide open disse...

"Encostar ao silencio..."
Gostei!
:)*

un dress disse...

LUÍS...das estrelas te ouço. agora.
que não só nem sempre o silêncio. como dizias...

MARTA...obrigada por voltares nesse exacto voltar...

WAITING FOR GODOT...recordar-te lugares de felicidade é pra mim um imenso prazer...

ISABEL-ISABEL...:) faltam-me as palavras.
...que as pontes nem novas serão...musicais também...

LEGÍVEL...como tu consegues deixar o rasto securizante do essencial...comovente...

RAFAEL...se não queres seguir permanece. fica aqui.tu e apenas TU...

MARGARIDA...querida violeta. a partir das tuas palavras qualquer lingrinhas como eu arrasa montanhas...:)

JEFERSON P...bem-vindo!. como vês...porta aberta e comboio...

ANATEMA...respira por mim o ar que me faz falta! esse ar agreste aí do planalto! e não penses agora... :)

CHUVA MIÚDA...bons-todos-os-fins-de-dia-semana-todos...a serenidade à porta das mãos...

ENTRE LINHAS...falas de arte e tranquilidade. eu também. falo muito. só chego ás vezes...:)

ENFIM...porta aberta pró rio e prá linha de todas as possibilidades...

EYES WIDE OPEN...encostar ao silêncio sim. o que ás vezes não consigo nem desejo. e às vezes... só isso desejo...

pra todOs mil estrelaS.
mil voos nocturnoS. agOra.

Bandida disse...

e as vírgulas entre linhas e exclamações...





B.
_____________________________

un dress disse...

e as


vírgulas-a-caminhar.




beijo bandida

Claudia Sousa Dias disse...

i'm still.

listening.


The sound.

of silence.

(espero calmente que Simon e Grafunkel me processem;-))

un dress disse...

hehe... bem podes esperar sentada cláudia...!

por dentro dos sons do silêncio.


(dos mais belos álbuns e poemas de sempre...)

beijO

Ana disse...

É fabuloso este diálogo!

Vou guardá-lo. Se me surgir algo à altura continuo-to.

Beijooo