30.8.14

va i ali


~






BALADA DE CHANG-KAN


Nesse tempo eu usava ainda os cabelos em franja
E brincava colhendo flores, à entrada da minha casa.
Vieste num cavalo de bambu,
Trotando à minha volta e atirando-me ameixas verdes.
Vivíamos os dois numa aldeia, chamada Chag-Kan,
Duas crianças alegres e inocentes.

Quando aos catorze anos me tornei tua esposa,
Era tão tímida, que não conseguia tirar os olhos do chão.
Mil vezes me chamaste,
Mas nem uma única te consegui olhar.
Pouco a pouco perdi a timidez.

Com quinze anos, desejei que as minhas cinzas
Se misturassem com as tuas,
Para sempre, sempre, sempre.
Por que subiria agora ao cimo da montanha?
Tinha dezasseis anos quando partiste
Para a longínqua Ku-To-Yen,
Através da garganta de Chu-Tang,
E estiveste ausente durante cinco meses.
Os macacos no alto das árvores lançam um lamento doloroso.

Arrastava os pés quando tu foste.
Cresce musgo, agora, sobre os traços dos teus pés,
Tão profundo que não se pode arrancar.
Antes do tempo, caem as folhas neste outono ventoso.
Pares de borboletas salpicam de amarelo o jardim ocidental.
Entristecem-me. A minha pele perde o tom rosado.

Se regressares através da garganta do Rio Azul,
Por favor não te esqueças de me avisar.
Para que eu possa ir ao teu encontro.
Tal é a minha ânsia
De te abraçar, que não me metem medo o vento de areia,
Nem a distância.






[ poema de Li Bai,
desconheço o nome do tradutor.fot casCa




36 comentários:

un dress disse...

consegui finalmente
partilhar
estes dois...

mais dois
entre mil
e mil

e mil vezes mil
dois...


belOs diaS ~~

dois...

Klatuu o embuçado disse...

Belo post. Tens bom gosto.

Klatuu o embuçado disse...

Quem é o autor da foto a sépia, com os mastros por trás das casas?

i2_s2 disse...

as distâncias e ausentes e as sovas de areia de ventos que soprama certas horas de deserto esculpem o espírito para que ele se torne mais forte, para que receba uma nova chegada, para atravesse o tempo com um novo compasso.

Eufrázio Filipe disse...

Quem anda nos meus pé
a trilhar caminhos que são meus?
Quem me desanda?
São os meus pés nos teus.

Mireya disse...

Muy bonito,saludos desde Argentina.

alice disse...

obrigada, un dress, por partilhares este belíssimo poema. um prazer inequívoco de leitura. um grande beijinho para ti. e boa páscoa. (e sim, o céu é de mel, aqui, pelo menos ;)*

MARTA disse...

Não, não devemos ter medo - nem do vento nem das distâncias.......
Às vezes, hesitamos, mas quando conseguimos vencer, contornar, saltar o obstáculo...é porque avançamos...
Semana nada fácil para mim...mas enfim, vamos caminhar??? Bom texto.
Boa Páscoa.
Beijos e abraços
Marta

Alexandre disse...

Bom gosto em tempo de Páscoa!!!

Beijinhos e Boa Páscoa!!!

Rachel C Miller disse...

Lovely poetry, heaven of honey, there is no forgetting. Happy Easter!

Rachel C Miller disse...

Heaven is the sharing of souls the sweet honey drips from the heart.

violeta disse...

Caem também ainda algumas folhas nesta primavera...
E nascem coisas belas das sementes há muito tempo tempo aradas...
:))))
ABRAÇO, BEIJO

candida disse...

um ritmo tipicamente oriental. muito bonito.

Pollan disse...

nem a distância?







(linda imagem.)

anatema disse...

Qué belleza de relato. En él se mezclan la nostalgia y la saudade desesperada.

La historia es como una tarde de lluvia junto a un riachuelo: crece, crece, crece...hasta desbordarse el agua, como el amor hace desbordar los sentimientos.

Un beso.

Daniel Aladiah disse...

Partilhas que se cruzam nos pontos cardeais ocupados pelo Sol...
Um beijo
Daniel

patricia disse...

O oriental tem sempre uma sabedoria e delicadeza que nos parecem transcender. Lindo poema. Obbrigada pela partilha, luci!

(se tiveres o livro ou em livro, leva no sábado, para uma partilha colectiva ;)

beijos***

patricia disse...

Quando Adamastor foi rejeitado pela ninfa tornou-se o penedo rochoso que dobrado deu vitórias.

Quando leio os teus poemas imagino que te tornas uma árvore que se alimenta da seiva da terra e que a tua pele se torna casca (como esta) que protege mas que exala uma beleza e uma natureza difíceis de dobrar. E é isso que dá as vitórias!

beijos muitos***

inimaginavel disse...

Here...

antónio paiva disse...

................

pois partIlhas

partIlhando e respIrando(às vezes)

..............

BoaA SemAna

Diva disse...

Belissima foto! Belo Poema! Excelente combincacao.
Bjs meus

david santos disse...

Olá, nordestino! Não consegui comentar no post anterior, não sei o que se passa. Contudo, andei a ver o que por aqui tens e, sabes uma coisa? Estou espantado. Grande trabalho o teu. Curiosamente, mesmo sem saber como, vim ver um trabalho do tipo que mais admiro. Gosto imenso deste trabalho. Parabéns.

Chibo disse...

Lindo! Beijinhos

Jefferson P. disse...

avise aqui tbm,
desejo
fazer...
parte desse momento,
dessa balada que me abala só de ler.

bj

un dress disse...

Heaven is in the making
...heaven is of honey
How could I forget?

( )

luís disse...

As a reminder

( )

luís disse...

Cresce musgo agora.

Moura ao Luar disse...

Olha eu hj ate trouxe uma franjinha e tudo, quando cortei o cabelo fiquei logo com franja mas andava a pentear de forma a esconder hehe hj assumo a minha franja! Beijokas

mixtu disse...

excelente partilha
não conhecia
li e reli...
excelente

abrazo

Pollan disse...

o silêncio é cativante certas horas.

d disse...

Neste poema se decompõe a ânsia ensalada com a resignação.

No outro se fala de memória e da perda... da memória?

Nos dois a lembrança viaja em círculo entre esquecer e lembrar e não saber onde...
desaguar...

Muito doce a nostalgia...

jjLeandro disse...

Estou esperando a foto e seu endreço para lincar no CulturalWorld.
abcs

Anaïs disse...

Heaven is of honey
How do i know?...

Excelente poema, linda partilha adorei.

Kisses for you!!!

un dress disse...

obrigada Leandro.

(espero ter chegado...)

abraçO :)

un dress disse...

aqui vos deixo...

VINTE E NOVE beijOs. ( e mais alguns just in case...)

muito e muito obrigada

por terem vindo até aqui!!!

bOns dias pra tOdOs. :)

un dress disse...

klatuu não sei de quem é a sépia...

a foto foi-me enviada há algum tempo e a pessoa também não sabe... sorry.

:)