30.8.14

final. cut

~










No meu sangue


Tira-me a luz dos olhos - continuarei a ver-te

Tapa-me os ouvidos - continuarei a ouvir-te

E, mesmo sem pés, posso caminhar para ti

E, mesmo sem boca, posso chamar por ti.

Arranca-me os braços e tocar-te-ei

Com o meu coração, como com uma mão.

Despedaça-me o coração e o meu cérebro baterá

E, mesmo que faças do meu cérebro uma fogueira

Continuarei a trazer-te no meu sangue.






poema de R
ainerMariaRilke.nascido a 1875 em Praga.escreveu em língua alemã.(tradutor não-identificado.fotoNet).

40 comentários:

Eufrázio Filipe disse...

Valeu a pena rainer escrever este poema em 1875?Parece que sim.Sangue é vida.

un dress disse...

que diremos então

de assim

ser.



de assim...

patricia disse...

E mesmo quando o sangue se esvair e seco ficar tu continuarás a bater, a correr, a pulsar e vais com ele onde ele for.

Ser assim, sentir assim... às vezes acho que isso está apenas reservado à personagens de livros e à poesia.

Que diremos, não é??

beijos***

d disse...

De assim
já tarde no soluçar tranquilo dos ossos cinzentos.
De assim
resgatar às claves do sol a sequência dos gestos previstos
De assim
os fósforos se acenderem na superfície sedosa das águas.

Rilke ;)
Beijo

un dress disse...

E. FILIPE Rilke não escreveu nessa data. aí nasceu!
o poema terá seguramente sido escrito uns bons anos depois...;)

PATRÍCIA não sei se está tal coisa reservada nem a quem...;)

lindo DANIEL...véu de fogo na água.
névoa de fogo às vezes...:)


beijOs. abraçOs.

Eufrázio Filipe disse...

Costumo dizer que os rios correm do ventre até à foz

Raquel disse...

O fusca é quase um coadjuvante na história,..rsrsr . O grande lance está na forma de dizer as cores... Amarelo que começa com a letra "a" o fulano usou a letra "m".. e marrom que começa com "m" o fulano usou "a" ; amarrom... marelo...

É... em teu sangue está a fórmula da perseverança.

Abrçs.

un dress disse...

tenho uma grande queda

(queda mesmo :)) para amarelezas...


raquel,thanks!
you´re wellcome!

Eyes wide open disse...

LiNdO!!
*

violeta disse...

Tu queres matar-me com esse poema?
E a foto,
Mau mau a esta hora!
Está arrasador!!!

Era assim e é o Rilke a dizer-nos desse amor das entranhas, sem limites, da carne, do sangue.
Beijo, abraço
M.

sonhadora disse...

da vida se fez sonho que floriu em beijos embrulhados em abraços.

Hugo Milhanas Machado disse...

Voltarei a esta casa. Visceral.
HMM

Sleeping_Angel.69@Hotmail.com disse...

muito profundo o poema mas esta divinal

Entre linhas... disse...

A vida é um sonho imutável,transporta-nos para o mundo real.

Bjs Zita

Alexandre disse...

Un Dress,

Que poema forte e que imagem fantástica!!!

Podem tirar-nos tudo menos a alma... e o sangue!!!

Beijinhos!!!

A.S. disse...

Rainer Maria Rilke, um dos meus ídolos!

Pura ironia a correr por dentro!
Em cada artéria corre o desejo
a magoar fundo... bem no fundo!


Para ti... com um beijo!

alice disse...

poema fantástico do autor das mais célebres cartas a um jovem poeta. a fotografia é fantástica. se a menina não se importa, passo cá a tarde. não sei quanto é que se paga para habitar em tão melodioso espaço. mas preciso mesmo desta música. depois mande a factura à tradução, se faz favor. beijinhos.

;)

João disse...

nesse sangue aonda as fogueiras se acendem, com um abraço

DarkViolet disse...

Até que tudo deixe de fazer sentido e aí chegará a foice para cortar a vida que está pendurada por um fio de essência...Até quado existirá vontade?

Rachel C Miller disse...

As palavras são escritas belamente, meu primeiro pensamento no retrato é o que o inferno a não ser ouvido ou a não falar, porque voz é liberdade.

antónio paiva disse...

...........

DramÁtico mas PodEroSo

onde eu gosto memso de sangue é a correr nas veias

...............


Beijo e noite serena

luís disse...

A maior dor foi sempre silenciar.
Por muito que legitimemos e queiramos ampliar a ideia - muito difundida, aliás, de que sonhar é tudo na vida...
Não é tudo para ninguém, atrevo-me a dizer. Para mim, não é de certeza.
Por isso este poema é belo: pela época pelo extremo e pelo corpo presente e testemunha.
Não estou lá muito inspirado, eu...
pareço...uma coisa esquisita que...

Beijo ó asinhas! ~

Waiting for Godot disse...

La foto me dio miedo!

Diva disse...

nada pela foto............tudo pelo poema!!! sangue-so-correndo pelas veias!
Bjs meus

anatema disse...

NOOOOOOOOOOOOO!

Digo como el anterior comentarista: sentí un escalofrío.

Y es que existe tanta violencia y tanta maladad..........

Un beso amiga.

anatema disse...

Rectifico: tanta maldad....

firmina12 disse...

eu também tenho medo deste poema e mais ainda colado a esta fotografia e â música. o que me vale é que as minhas tesouras...

Broken disse...

Belissíma descrição...

Faço minhas as tuas palavras.

Acrescentar, nada. Está tudo muito bem dito.

Bjinho

Késia Maximiano disse...

maravilhoso...

un dress disse...

obrigada por virem.

lamento que se alguns se tenham

assustado com o poema de rilke

com o corte na voz

na língua...


(também eu me assustei)

fiquem bem.
um abraçO a cada um, vinte e quatro no total...*

19.4.07

Letras de Babel disse...

tenho, como sabes, esse poema do Rilke, num post relativamente recente.

e, só pra te castigar pelo arrepio desta foto, tenho a comunicar que o meu post é mais bonito que o teu!

:)

hoje nem te dou um beijo
eu sei lá
que é essa aí...

_____________________________

ps: faxavor d' irem todos confirmar (ou não), o que eu disse.
e votarem.
pra ver se isto anima.
:)

Letras de Babel disse...

(acho que ela mudou o template só para que aquela foto produzisse mais impacto. foi uma cena má. foi, foi. cheia de sorte; hoje não estou para guerras. isto sou só eu a pensar.)

un dress disse...

olá querida letras!

tenho que me deslocar a tua casa para mais observações...

eu não ía mudar o template...
meti-me em explorações e deu nisto!
mas agora ainda bem, de facto!
pois...
muitos sustos com a foto.(incluída eu!!)

mas queria precisamente aquela para aquele poema.

:)) beijO

ps: votem votem!!
eu...adoro votações :(

raquel disse...

ai! dói-me a boca!

un dress disse...

eu sei...!

*

Claudia Sousa Dias disse...

Belo poema. Mas a fotografia quase me fez desmaiar...

O meu limiar de´resist~encia à dor é baixíssimo!

CSD

un dress disse...

nem sei como

consegui pô-la ali cláudia!!...rrrrrrrrrr...

normalmente caio pró lado com estas cenas, nos filmes tapo os olhos e por aí assim...




abraçO*

Chibo disse...

Ai! Que belo!

un dress disse...

ainda bem que não te assustaste! :)

obrigada ~

tonsdeazul disse...

Bem... a foto é arrepiante e espectcular!!!
O poema causou-me uma mistura de sensações... é louco, triste, doentio, profundo e maravilhosamente sentido.